sábado, 7 de novembro de 2009

Obras do aeroporto de Farol de São Tomé sob embargo judicial?

Em entrevista concedida ontem ao programa De Olho na Cidade, exibido pelos canais de TV Litoral, Plena e Goitacá e pela rádio Continental AM (1270 kw), o secretário municipal de Ambiente, Paulo Feijó, informou, parece que em primeira mão, que as obras do Aeroporto de Farol de São Tomé foram embargadas em primeira instância pela Justiça. O curioso é que, salvo engano, até agora a notícia não foi repercutida por outros veículos da mídia tradicional e virtual de Campos dos Goytacazes. O assunto mereceu pouco destaque até por parte de João Oliveira, um dos apresentadores da revista eletrônica matutina –ontem acompanhado por Fernando Leite–, que preferiu atrair a audiência fazendo suspense em relação à saída de Feijó do governo, algo já por demais comentado na imprensa local.
O secretário lamentou muito o embargo das obras do aeroporto e, dizendo que defende o desenvolvimento sustentável (saberá ele o significado dessa expressão?), falou que, mesmo reconhecendo a importância das questões ecológicas, o progresso deve ser priorizado.
Já chiou (mas não muito e pelo menos ainda) o Feijó. Falta agora ouvir o choro de outros representantes do governo municipal, do empresariado e da imprensa local. Todos –mas sobretudo os dos dois últimos setores– tão queixosos quando se trata de criminalidade e desigualdade social, quanto apologistas cegos do "progresso" e do "desenvolvimento". Cegos, sim. Ou melhor, caolhos (com a licença do blogueiro Xacal, que restringe tal epíteto aos apresentadores do programa midiático acima mencionado). Afinal, o que dizer de quem não reconhece que, no caso em questão (e em empreendimentos como Porto do Açu e Porto de Barra do Furado, para citar apenas investidas (até aqui) não frustadas), criminalidade e desigualdade social e "progresso" e "desenvolvimento" são faces da mesma moeda?

5 comentários:

Xacal disse...

belo texto, vou repercutir lá, se me permites...

Gustavo Landim Soffiati disse...

Sirva-se.

Marcos Valerio disse...

Muito bom! Gostaria apenas de citar que muito me estranha que haja embargo em uma obra que penso ser de menor impacto no ambiemte e naquela outra citada o dano poderá ser bem maior, muito estranho!

Gustavo Landim Soffiati disse...

Marcos,

Penso que isso se deve à fragilidade da argumentação técnica em favor do Aeroporto. Por mais estranho que pareça, o projeto do Porto do Açu tem menos falhas nesse quesito. Mas, por ora, quis apenas anunciar a notícia do embargo, sobre o qual, sinceramente, não disponho de maiores informações, afora o que foi dito por Paulo Feijó.

Gustavo Landim Soffiati disse...

Xacal,

Vejo que você, como sempre, foi mais rápido que eu e repercutiu o texto antes de minha "autorização". Rs.
Obrigado.
Abraços.