segunda-feira, 20 de abril de 2009

Sinais ou "Se eu fosse um político, minha vida não seria assim"

Não bastasse a falta de tempo (ou a má administração dele) deste (ou por este) Soprador de Vidro nos últimos dias, os problemas que ele vem enfrentando com seu computador parecem lhe emitir sinais de que é melhor entrar numa quarentena. Sem cobranças a si mesmo. Sem tentativas lamuriosas de explicar a seus poucos leitores o motivo de ainda não ter publicado nada sobre isso ou aquilo. Isso já está ficando chato.
Hoje, quando este escriba se preparava para voltar (de novo, de novo), a máquina, que havia ficado sem funcionar de quarta à sexta-feira da semana passada (período durante o qual ele se valeu de computadores de seus locais de trabalho, nos pequenos intervalos que teve), pifou mais uma vez. Pouco depois da postagem da primeira nota publicada aqui nesta manhã de segunda ("A fim de voltar"). Como se já previsse tal problema, ele escreveu ontem a segunda nota do dia ("comentários"), que foi, portanto, programada para publicação.
As palavras da leitora, colega e seguidora deste veículo Jéssica Carvalho (confira clicando sobre os Comentários de "A fim de voltar"), com um tom que oscila entre o de consolo e de crítica, reforçam ainda mais a constatação de que talvez seja mesmo o caso de dar um tempo. Assumidamente e sem mais reclamações. Até desistir de desistir de novo.
Se eu fosse um político, minha vida não seria assim. Bastaria criar uma teoria conspiratória para tentar convencer a todos de que o universo não anda mesmo a meu favor.

7 comentários:

Marcos Cardozo disse...

Não desista, caro amigo! Continuamos te acompanhando.
Abraços.

felixmanhaes disse...

Companheiro, vamos em frente, não desanima, não. Estamos fazendo uma visita diária...

Raskolnikov disse...

Pois é o Ed Motta foi muito feliz: ... "Eu percebi que a vida é muito mais que vencer"... Portanto, as pequenas agruras da vida têm que ficar na sua real dimensão, ou seja, pequenas, minúsculas, microscópicas. Shopenhauer nos diz que é justamente a resistência que o Mundo nos opõe que qualifica nossa Vontade! Por isso, Dom Quixote é um paradigma interessante: apesar de enfrentar grandes inimigos imaginários, o seu delírio lírico e megalomaníaco nos restitui o sentido ÉPICO da vida! Afinal um bom Soprador de Vidro não pode desistir no meio do trabalho. Té mais véio

Anônimo disse...

Caro Amigo,Como diz Chico Buarque:"...mas fica ,meu amor, sem fantasia pois quem sabe se algum dia você goste de ficar!!!..."

Provisano disse...

Isso certamente é uma fase, "um daqueles dias em que a gente se sente, como quem partiu ou morreu", mas passa.

Claro que manter um blog em atividade de forma solitária, deve ser uma tarefa hercúlea, ainda mais quando se tem que sobreviver, matando um leão a cada dia.

Como Gustavo certamente foi contaminado pelo vírus do bloguismo, não vai desistir do dia para a noite ele vai retornar com garra e sangue novo, é só aguardar. Quem viver verá!

Xacal disse...

caro gustavo,

penso em lançar uma campanha:

só volto a escrever se o soprador também voltar...

o problema é que temos tão poucos leitores, que periga ninguém dar bola, e a gente ter que parar de vez...

confesso que tem dias que quase desisto...

mas nem de longe tenho uma agenda tão apertada como a sua...

portanto, brincadeiras à parte, faça do seu blog sempre um espaço de diversão, acima de tudo...

um abraço...

Gustavo Landim Soffiati disse...

Xacal,

Está querendo fazer uma greve de escrita por minha causa? Quanta honra!
Por outro lado, quanta falsa modéstia: você tem muitos leitores.
Como certamente já notou, também penso em desistir (muito mais do que você). Mas ainda não foi desta vez...
Como já disse no texto sobre a quarentena, talvez meu problema seja mais de má administração que de falta de tempo. Em grande parte porque sou perfeccionista. Tentarei ser menos, para me divertir mais, como você propôs.
De qualquer modo, obrigado pelo apoio.
Um abraço.